Sindicato buscará audiência para discutir casos de assédio moral nas unidades prisionais


Agentes Penitenciários do Estado do Ceará decidiram nesse sábado(16), em assembleia geral, no seminário da Prainha, que o Sindicato dos Agentes e Servidores do Sistema Penitenciários do Estado do Ceará (Sindasp/CE), e os integrantes da Comissão Negociação e Mobilização protocolarão, nos próximos dias, na Secretaria de Administração Penitenciária, as reivindicações da categoria deliberadas pela maioria presente.

Os agentes denunciaram, entre outros pontos de assédio moral, que estão sem horário de almoço, fato que deveria ser estabelecido pela gestão e, mesmo após passarem por um plantão de 24 horas, alguns ainda ficam sem alimentação. Além disso, há relatos que os profissionais que desempenham as respectivas atividades, na mesma escala de trabalho, são escalados ininterruptamente sem descanso. 

 

A superlotação também preocupa a categoria, pois segundo documento do Conselho Nacional de Políticas Criminais e Penitenciárias, deveria ser 1 agente para grupos de 5 presos, enquanto que a realidade do Estado foge totalmente da legalidade, trabalhando com 1 agente para 80 presos. A falta de treinamento também foi apresentada como pauta. 

 

“Eu não vi nenhum investimento, tirando o último concurso realizado, para o Sistema Penitenciário. O secretário Mauro Albuquerque está fazendo um bom trabalho, mas sem os agentes penitenciários nada teria sido feito. Exigimos respeito!”, disse Valdemiro Barbosa, presidente do SINDASP/CE.

Deixe o seu Comentário