Servidores públicos lançam Campanha Salarial e cobram reposição de 20,22%


Os líderes sindicais e associativos encerraram o lançamento da Campanha Salarial dos servidores públicos estaduais requerendo uma audiência com o governador Camilo Santana. Na ocasião, o deputado Carlos Felipe (PCdoB) prometeu encaminhar a solicitação dos trabalhadores. O parlamentar também sugeriu que a pauta fosse discutida com os secretários Nelson Martins, chefe da Casa Civil, e Maia Júnior, titular da Secretaria do Planejamento e Gestão do Estado – Seplag.

Os coordenadores do Fórum Unificado das Associações e Sindicatos dos Servidores Públicos Estaduais (Fuaspec) expuseram a situação financeira do Estado e criticaram o posicionamento do coordenador de gestão de pessoas da Seplag, Fábio da Silva Miranda. A critica veio do professor Lúcio Maia, diretor do Sindicato dos Fazendários do Ceará (Sintaf-CE), e responsável pelo estudo técnico que apontou as perdas salarias de 20,22%. “O companheiro do planejamento só falou das despesas, mas é necessário falar dos dois lados da moeda. O deputado pode até intermediar essa audiência para que discutam conosco o que nós pretendemos”, completou Maia.

O presidente do Sindicato dos Agentes e Servidores do Sistema Penitenciário do Estado do Ceará (Sindasp/CE), Valdemiro Barbosa, ressaltou a importância da coletividade e convocou os servidores para o próximo evento do Fuaspec, no dia 14 de novembro, quando haverá uma caminhada saindo da Assembleia Legislativa ao Palácio da Abolição. “Se tiver cinco mil pessoas nessa caminhada do dia 14 tenho certeza que o governador recebe os sindicatos”, disparou Barbosa, que estava na companhia do diretor Paulo Sérgio.
Os servidores recordaram que há dois meses, as empresas terceirizadas contratadas pelo Estado ingressaram com uma ação no
Tribunal de Contas requerendo o repasse da inflação para cumprimento dos contratos, “enquanto que o servidor é penalizado sem reajuste justo”, disse Eliene Uchoa, presidente do Sindicato dos Trabalhadores na área de Trânsito do Ceará (Sindetran/CE). A sindicalista cobrou um posicionamento aos 46 deputados da Casa Legislativa, já que a revisão geral anual está assegurada no artigo 37, X da Constituição Federal.
Além da reposição salarial de 20,22%, os integrantes da mesa cobraram a regularização do atendimento do Instituto de Saúde dos Servidores do Estado do Ceará (Issec) e a realização de concurso público. No último tópico, os diretores da Associação dos Servidores da Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social, Hilda Nepomuceno e Daniel Lima se lembraram da deficiência de pessoal na Secretaria do Trabalho, dado reconhecido pelo parlamentar.
Por fim, Rita de Cássia Gomes, coordenadora geral do Fuaspec, destacou situações vivenciadas pelo servidor que, de maneira geral sofre com a falta de pessoal nas repartições, além das perseguições e atos de assédio moral. Rita de Cássia também criticou o valor do salário base dos trabalhadores “que são massacrados diariamente”, concluiu.

 

Publicado em 10/11/2017, categoria: Notícias do Sindicato por Tags: , , ,

Deixe o seu Comentário